“Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu grande amor por nós, nos deu vida com Cristo, estando nós ainda mortos em transgressões; pela graça sois salvos” (Efésios 2:4-5). 

 

A condição declarada no texto das Escrituras Sagradas sobre a situação da humanidade é de que esta estava morta. O estado de morte infere na separação do indivíduo com Deus e, consequentemente, no destino eterno. A misericórdia é concedida à humanidade pelo grande amor de Deus, oferecida aos indivíduos que caminham conforme os próprios ideais e vontades e que, consequentemente, acabam sendo seduzidos pela ganância, perversão e violência. 

Ao se referir como mortos, há o entendimento de que não existe qualquer ato que o próprio indivíduo possa realizar que o livre de sua realidade, pois a morte aos homens é irreversível. Sendo assim, conforme declarou o apóstolo Paulo, nós estávamos mortos em nossas transgressões. No texto de Efésios, encontramos duas afirmações maravilhosas sobre Deus, a misericórdia e o grande amor d’Ele. O significado dado pelo dicionário Oxford Languages para “misericórdia” é   “sentimento de dor e solidariedade com relação a alguém que sofre uma tragédia pessoal”, um ato de bondade, mesmo que o outro não mereça perdão. O grande amor de Deus é direcionado a todos os perdidos, desfavorecidos e miseráveis; o amor misericordioso de Deus provê a Graça, que resgata pela compaixão de Deus o ser indigno. 

Jesus Cristo é o substituto que paga o preço de nossas injustiças, aquele que não pecou e pagou os pecados da humanidade. O livramento produz vida, resgatando o homem de sua desgraça e de sua perdição eterna. Os princípios que devem conduzir o indivíduo regenerado estão contidos na Bíblia Sagrada. O conhecimento e o exercício da nova conduta são auxiliados pelo Espírito Santo de Deus, que auxilia a tornar o perdido um vencedor em Cristo Jesus.

Apesar de todas as dificuldades que vivemos, esta nova vida é abundante e começa no momento em que aceitamos a graça concedida.

A esperança não está somente nas estruturas deste tempo atual, mas no Deus Eterno, que ama grandemente a humanidade. Aquele que tem esta nova vida não caminha sozinho, agora recebe os cuidados e a proteção de Deus. 

 

O caráter a ser alcançado é de Cristo, referência de humildade, obediência e santidade. Esta é a boa-nova pregada em toda a Terra: o tempo de salvação chegou! O favor de Deus ao mundo perdido. Por esse amor tão grande, Deus deu o único filho para que todos aqueles que n’Ele crerem não morram, mas tenham Vida Eterna.   

 

Me. Margareth S. Silva